Não posso trabalhar…

Publicação efectuada no site MalServido.com a [14/02/2005] [19:40] http://www.malservido.com/

O meu trabalho depende quase em exclusivo do “cabo”.
Em 20 de Novembro de 2004, o meu escritório ardeu. Entre outras coisas, salvou-se o “modem” da Netcabo.
Passei todo o mês de Dezembro tentando, diariamente, ligar para os números de assistência Netcabo (707 288 488 e 707 299 499); uma gravação dizia sistematicamente que estavam com problemas, devido a 1 problema na facturação, e que só poderiam atender daí a… 10 minutos ou mais; nunca atenderam.
No dia 11 de Janeiro, enviei email, pedindo o cancelamento da conta no endereço onde ocorreu o incêndio e a activação de nova, no novo endereço, que entretanto tinha conseguido arranjar.
A 28 desse mês (17 dias depois), recebi a resposta: tinha de enviar… um email (!!!), mencionando todos os dados que já tinha enviado, e indicando também coisas tão estranhas como a Câmara Municipal correspondente ao novo endereço, se queria ou não manter a conta do endereço ardido, os nomes antigos das ruas de um de outro locais e o número de cliente de um vizinho do novo prédio.
Depois de marcada a instalação (TVcabo, mas o cabo é o mesmo…) para 26 de Janeiro, esta foi adiada uns dias depois, sem qualquer explicação, para 7 de Fevereiro. Quando, finalmente, esta ficou feita mas – ao contrário do que me tinha sido dito numa das mais de 10 chamadas para a Netcabo – o “modem” não reconheceu o sinal, apesar de ser no mesmo bairro e ter passado apenas do lote 10 para o 17.
Cerca de 10 chamadas telefónicas depois, em dias seguidos e interpolados, depois de uma carta por “snail mail”, expondo e reiterando o assunto, depois de mais outro email, dizendo rigorosamente o mesmo (para que não restassem dúvidas). Passaram os dias e… nada; mais telefonemas a granel, e depois de um enorme sortido de respostas satisfatórias (“está ligado dentro de 24 horas”, depois “48 horas”, depois “até ao fim do dia”, depois “no máximo 4 horas”), tudo continua na mesma: nem o “modem” está activo no novo endereço nem sequer o “cabo” do endereço antigo foi desligado – ao que sei!
Entretanto, as facturazinhas (Novembro, Dezembro e Janeiro) continuaram alegremente a ser cobradas automaticamente, por débito bancário (Cancelei-o hoje mesmo).
Respostas, nada. O “modem” lá continua, desesperadamente piscando, a ver se pega. Mas não pega. Depois de me pedirem, uma vez e outra e outra, número de cliente (os dois, o antigo e o actual), número de contribuinte e de B.I., depois de me fazerem repetir sistematicamente ambos os endereços, “no pasa nada”. Na Netcabo, ninguém faz nada. E não se trata de uma opinião; é um facto, provado e comprovado pelos… factos! Os quais, embora resumidos ao máximo, constituem uma das mais surrealistas e rocambolescas histórias a que me foi dado assistir. Infelizmente, foi (é) comigo, ninguém me contou nem ouvi dizer.
Trata-se de roubo (cobrança de consumo/tráfego inexistente), de incompetência à prova de bala e, em última análise, de pura maldade. Ou será alguma espécie de maquievelismo burocrático que me ultrapassa.

www.malservido.com

Share