Dia: 8 de Novembro, 2015

Descubra as diferenças

FBD_MRS_CPLPAlgumas “coincidências”.

A correspondência é feita pela cor dos destaques (a azul ou a verde).

As citações marcadas com o número 1 são do Programa de Governo para a XIII Legislatura (PS+PCP+BE), cap. VIII (“Promover a Língua Portuguesa e a cidadania lusófona”).

As citações marcadas com o número 2 são de Marcelo Rebelo de Sousa (PSD), candidato à Presidência da República, e/ou de Feliciano Barreiras Duarte (PSD), autor do relatório sobre a Petição Manifesto de Vasco Graça Moura.


 

1. «A criação de um programa de intercâmbio universitário vocacionado especificamente para a circulação de estudantes de língua portuguesa, instituindo um Erasmus na CPLP, dirigido a estudantes e professores.»

2. «Feliciano Barreiras Duarte defende ainda a concretização do Erasmus lusófono.» (http://www.tintafresca.net/News/newsdetail.aspx…)

————————

 

1. «A criação de um sistema de registo de marcas lusófonas, permitindo-se que através de um registo único se possa obter e fazer uso de uma marca válida e protegida em todos os países da CPLP.»

«A criação de um espaço económico da Língua Portuguesa com eliminação de barreiras ao exercício de transações comerciais e ao investimento, regras jurídicas comuns, reconhecimento automático de documentação pública e um ambiente fiscal e aduaneiro favorável.»

2. a)  «O aprofundadamente do espaço económico da organização, permitindo o aumento dos níveis de investimento, de riqueza e criação de emprego, a criação da marca da CPLP à escala mundial e promover a discussão da lusofonia foram outras das ideias apresentadas.»  (Feliciano Barreiras Duarte – “Tinta Fresca”)

2. b) «Neste capítulo, o docente destacou a ligação entre os vários países da CPLP ao nível da formação jurídica, sublinhando que “esta rede que era informal passou a ser cada vez mais formal com a realização de protocolos entre as várias universidades públicas e privadas”. (…)
Defendendo que o “direito tem que ser um fator de avanço no quadro da CPLP”, o jurisconsulto considera que “ninguém imagina o quão importantes estas obras vão ser, porque qualquer jurista lusófono, onde quer que se encontre, vai utilizar estas coletâneas.» (Marcelo Rebelo de Sousa – “Tinta Fresca”)

2. c) «O docente considera, por outro lado, que o seus livros devem ser “entendidos como um instrumento para uma melhor compreensão daquilo a que podemos começar a designar o direito da CPLP, uma nova realidade jurídica que nos últimos 20 anos se tem vindo a solidificar, não só politicamente mas também juridicamente, no vasto leque de matérias tuteladas pela ciência jurídica”.» (Feliciano Barreiras Duarte – “Tinta Fresca”)


Foto de topo: “Tinta Fresca”

Share