Dia: 21 de Fevereiro, 2016

Coxos mentirosos

«Este instrumento visa contribuir para a expansão e afirmação da língua através da consolidação do seu papel como meio de comunicação e difusão do conhecimento, como suporte de discurso científico, como expressão literária, cultural e artística e, ainda, para o estreitamento dos laços culturais.»
«Presidência do Conselho de Ministros, 9 de Dezembro de 2010»
«O Primeiro-Ministro, José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa»
Resolução do Conselho de Ministros n.º 8/2011

DE_logoLiteratura portuguesa deixa de ser obrigatória no Brasil

20.02.16 17:51 Económico

Proposta exclui Camões, Eça, Pessoa e outros clássicos.

———————-

O Ministério da Educação do Brasil (MEC) eliminou a obrigatoriedade do estudo da literatura portuguesa na nova Base Nacional Curricular Comum (BNCC) que está até Março em discussão e deve ser posta em prática em Junho, avança hoje o “Diário de Notícias”.

Autores como Luís Vaz de Camões, Gil Vicente, Fernando Pessoa, Eça de Queiroz, Camilo Castelo Branco, Almeida Garrett ou José Saramago deixam de ser obrigatórios.

A decisão, considerada por grupos de educadores brasileiros como “política” e “populista”, faz parte de uma série de propostas, que inclui mudanças nos currículos de Língua Portuguesa e de História e está a ser alvo de intenso debate no país.

“A proposta beira o absurdo (…) como se pode apagar Portugal e a Europa de nossas origens? Tirando do mapa? Será que mais uma vez a selecção de conteúdos foi contaminada por um viés político e ideológico anacrónico? perguntaram-se em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo dois professores universitários brasileiros, indignados com a decisão.

O Ministério da Educação do Brasil, solicitado pelo DN a dar uma explicação, afirma apenas que a BNCC não é definitiva e que está em processo de discussão.
diario_nova.destaque

[“Diário Económico, 20.02.16. Acrescentei destaques e “links”.]

Share