Apartado 53

Um blog contra o AO90 e outros detritos

O que diz Pacheco

Do programa “Quadratura do Círculo”, emitido em 18.05.17 pela SIC Notícias, parece-me aproveitável a parte em que José Pacheco Pereira dá pancada (que não lhe doam as mãos!) no chamado “acordo ortográfico”.

Foi aliás esse mesmo o primeiro tema da tertúlia, se bem que os demais convivas, moderador incluído, se tenham limitado a ou debitar as larachas do costume (Jorge Coelho, pois claro) ou perorar vigorosamente que nim, ah, e tal, eu até acho que coiso mas patati patatá (Lobo Xavier).

Por conseguinte, não se aproveitando mais nada dos 20 minutos iniciais da gravação, transcrevo em baixo — quase na íntegra — apenas o que diz Pacheco.

«A única coisa séria que está para antes destes acontecimentos e que continuará para depois é o Governo impor à força, num único país, que é Portugal, um acordo que abastarda a Língua Portuguesa e que portanto vai torná-la mais pobre em relação ao futuro; um acordo que é um grande desastre diplomático, a gente não quer reconhecer mas não funciona para a grande maioria dos PALOP, aqueles em que formalmente ele foi aceite o acordo praticamente não é aplicado, cada um escreve como entende, tudo quanto escreve em bom Português em Portugal não usa aquele acordo ortográfico e ele está a ser imposto nas escolas; isso é que é mais grave, e está a ser imposto nas editoras; era preciso parar com isso o mais depressa possível; reconhecer que houve um enorme desastre diplomático e as intenções do acordo resultaram não num Português mas em vários “portugueses”, falados e escritos de forma muito diferente em países muito diferentes, nalguns com uma riqueza expressiva e ortográfica superior à que com que Portugal vai ficar; quer dizer, porque Portugal o que está a fazer?, está a quebrar as raízes, por um acto administrativo do Estado, com aquilo que é o património histórico da nossa Língua, que é essencialmente o Latim; e essa destruição desse património e dessa relação… não me venham agora com a “pharmácia” com PH, as circunstâncias em que foi feito esse acordo não são as mesmas que são feitas hoje; este acordo foi feito numa altura em que há problemas com os portugueses aprenderem a sua própria Língua, falarem de forma expressiva, terem um vocabulário mais rico do que as 140 “coisas” do Twitter ou as expressões guturais dos SMS, em que há uma crise cultural, uma crise de leitura, uma crise de escrita, uma crise expressiva que torna os portugueses mais pobres. Ora, o acordo ortográfico é uma peça que está a ser imposta pela inércia, pela inércia! Com a excepção de quem o fez não há entusiastas do acordo ortográfico e é um factor suplementar no empobrecimento da nossa relação com o mundo; acabámos por dar carta de alforria a brasileiros, a angolanos, a moçambicanos; daqui a pouco vou ter que usar o corrector (no Word) do Português de Angola… o que é uma boa lição, porque o Português de Portugal está cheio de erros de ortografia.»

Cópia do vídeo em YouTube
Quadratura do círculo – 18 Maio 2017 SICN
Published on May 18, 2017

Notas: a publicidade é inserida no vídeo automaticamente pelo YouTube. Inseri “línks” na transcrição.

Print Friendly, PDF & Email
Share
Apartado 53 © 2017 Frontier Theme