Dia: 6 de Setembro, 2017

“Vezes sem conta”

Ainda a propósito do WordPress em Português de Portugal, e apesar de já ter chamado a atenção para os comentários ao artigo original, não resisto a transcrever aqui dois desses comentários. São apenas dois, para amostra, que há lá outros de nível equivalente, mas estes em particular ilustram na perfeição a premissa básica do “diálogo” (qualquer “diálogo”) entre acordistas, trogloditas verbais em sentido lato, e pessoas com dois dedos de ortografia: quanto mais claros e transparentes forem os factos apresentados por estes, mais feroz e estupidamente aqueles tentam “rebater” as evidências — a troco de alucinações neo-imperialistas e delírios pseudo-linguísticos.

Alucinações e delírios que, sem necessidade de ir lá ler as diatribes por extenso, coisa que ninguém merece, são perfeitamente detectáveis nestas elegantérrimas respostas.

WordPress Portugal, doze pontos, twelve points, douze points.

Zé Fontainhas

Chega.

Já te foi explicado (vezes sem conta), com infinita paciência, os comos, os porquês de todo este processo e em que é que ele é aberto e totalmente transparente e feito para respeitar as decisões da maioria.

A tradução para português (tal como o próprio core do WordPress), é open source, pelo que se não estás de acordo com a abordagem deste grupo, tens uma solução simples:

COMEÇA O TEU PRÓPRIO GRUPO DE “WP AO90”. Faz um site, abre discussões, recruta voluntários (parece que os há), implementa uma plataforma de tradução, distribui os ficheiros de tradução da tua versão. Podes até usar como base o trabalho desta comunidade à vontade, ninguém te leva a mal. Que se lixe, abre um canal no Slack, nós ajudamos.

Agora pára por favor de insultar quem aqui trabalha a troco de nada desde muito (mas muito, mesmo) antes de aqui apareceres, de inventares conspirações sem nenhuma substância ou fundamento sobre esta comunidade, e de insistires em que as coisas devem ser feitas como tu achas, pela simples razão que tu assim achas.

(mais…)

Share