Dia: 10 de Fevereiro, 2018

Em Português – 60

FLiP – Ferramentas para a Língua Portuguesa

Publicado por Apartado 53 em Sábado, 10 de Fevereiro de 2018

Correctores e dicionários para português da Priberam
a dar a volta ao texto há 20 anos!

FLiP – Ferramentas para a Língua Portuguesa
Website | Facebook


ARP – Associação Profissional de Conservadores-restauradores de Portugal

Fechado o prazo de entrega de candidaturas no dia 26 de Janeiro, e após deliberação do Júri, a proposta vencedora foi…

Publicado por ARP – Associação Profissional de Conservadores-restauradores de Portugal em Quarta-feira, 31 de Janeiro de 2018

Fechado o prazo de entrega de candidaturas no dia 26 de Janeiro, e após deliberação do Júri, a proposta vencedora foi apresentada por Leonor da Costa Pereira, Sócia ARP n.º67, com o título: «Projecto Delfim Maya: preservação, conservação, restauro e divulgação das obras em papel (desenhos, caricaturas, planificações escultóricas, documentos, cartazes tauromáquicos, abatjour) e esculturas de um artista esquecido».

ARP – Associação Profissional de Conservadores-restauradores de Portugal
Website | Facebook


AVE – Activismo Vegano Eficaz

Publicado por Apartado 53 em Sábado, 10 de Fevereiro de 2018

A página Activismo Vegano Eficaz – aVe – foi criada e é dirigida, essencialmente, a activistas dos direitos de todos os animais, e a quem queira começar a sê-lo, e que pretendam tornar o seu trabalho mais eficaz.
O aVe vai reunir material que demostra que o activismo e a comunicação pragmáticos e cordiais são eficazes. Ser pragmático e cordial é, para além de racional e educado, uma questão estratégica. Ter em vista a eficácia visa reduzir o sofrimento animal da forma mais rápida possível.
Algumas organizações têm-se esforçado, e muito bem, para colocar a informação das suas páginas de defesa dos animais, traduzida para inglês, tendo, assim, uma página mais aberta para o mundo, lá fora.
Pareceu-nos, no entanto, que, face à quantidade de organizações estrangeiras com um trabalho extraordinário disponível em inglês, que nem todos lemos, pelo menos não com a certeza de o assunto ter ficado claro, faltava este trabalho de tornar a boa informação mais acessível a todos, mais fácil de ler e de compreender, traduzida para português!

AVE – Activismo Vegano Eficaz
Website | Facebook

«Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional» [“Expresso das Ilhas”, 08.02.18]

Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional

Por Chissana Magalhães, 8 Fev 2018 13:37

O Instituto do Património Cultural (IPC), que integra o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, vai trabalhar uma proposta para a oficialização da Língua Cabo-Verdiana no quadro da revisão constitucional que deverá acontecer nos próximos tempos. Antes, e como estratégia nesse sentido, já vai começar a trabalhar um dossier para classificação da Língua Cabo-verdiana como património imaterial nacional.

Em entrevista ao Expresso das Ilhas (ver edição nº 845 desta quarta-feira), o presidente do IPC avança que o dossier será trabalhado na mesma linha que outros dossiers de classificação de património imaterial, como foi o caso da festa de São João – cuja classificação aconteceu em finais de Novembro passado – e contemplará a realização de um inventário.

“A nossa perspectiva em relação à oficialização é no reconhecimento do património maior de Cabo Verde que é a língua materna. Para este efeito o que se prevê é a classificação da Língua Cabo-verdiana como património nacional”, diz Jair Fernandes que explica que já se vai avançar para a preparação de um dossier técnico.

Fernandes garante que a classificação a património nacional abrirá o caminho à oficialização uma vez que esta pressupõe um reconhecimento nacional, “independentemente da questão da padronização, que acontecerá num segundo momento e cujo actor será o Ministério da Educação”.

Sobre as discussões que têm feito tardar a oficialização da única língua materna de Cabo Verde o historiador e especialista em turismo cultural defende que “a questão da oficialização da língua crioula cabo-verdiana acaba por ser um pouco como o da morna: todos queremos participar mas, exige uma certa cientificidade nas abordagens”.

O responsável do IPC acredita que a oficialização irá passar por desmitificar os conceitos, e garante que o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC, não pretende a curto prazo entrar em debates sobre a padronização da língua.

“É um outro nível de discussão que, infelizmente, tem sido muito deturpada”, constata.

Sobre a coabitação de duas línguas oficiais – no caso o Português e o Cabo-verdiano – Jair Fernandes analisa positivamente as experiências de ensino bilingue realizadas tanto em Portugal como em Cabo Verde – “temos provas claras de que tem sido um sucesso” – e cita os exemplos de países como Moçambique e Timor onde o Português convive com várias dezenas de línguas oficiais, sem que isso tenha “posto em causa” a Língua Portuguesa.

Classificando a questão à volta das variantes como um “fait-divers”, Fernandes reitera: “alguns sectores da vida política e social acabam por deturpar determinadas informações e a estratégia é precisamente dar uma nova roupagem à questão da oficialização da língua. Nós, o que queremos de momento é a classificação como património. No quadro da revisão da Constituição da República iremos trabalhar uma proposta para o artigo 9º, que é a inclusão da Língua Cabo-verdiana como língua oficial”.

Na entrevista à edição impressa do Expresso das Ilhas, Jair Fernandes aborda ainda outros dossiers de classificação a património, o projecto Museus de Cabo Verde, o Plano de Gestão da Cidade Velha, entre outros tópicos.

[Transcrição integral de Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional. Publicação de “Expresso das Ilhas” (Cabo Verde), 08.02.18. Imagem de topo, bandeira de Cabo Verde, importada de “BandeirasNacionais.com“.]