A ponta do iceberg

O problema foi ter-se alguém (Cavaco e Santana) lembrado de ir à gaveta buscar o maldito caderninho e desatado a impingir aquelas badalhoquices às pessoas. (…) Por fim, passados outros 4 anos, dois conhecidíssimos “intelectuais”, um licenciado por FAX (Sócrates) e o outro doutorado pela Universidade de Coimbra (Lula), mandaram o PS (Dupont) e o PSD (Dupond) aprovar a RAR 35/2008. [FAQ AO90 – 18]

(…) na prática o que vemos é que os interesses económicos (e não só) por detrás daqueles que estão por trás do AO90 fazem efectivamente parte de uma conspiração e que os conspiradores são os mais do que identificados donos disto tudo. [FAQ AO90 – 34]

[…]

A proveniência é o chamado “saco azul” do BES, banco para o qual Pinho trabalhou antes e depois de ser ministro e que era accionista da EDP, empresa que terá beneficiado. O recebimento por um ministro de uma quantia destas viola a mais elementar ética política. O caso é decerto judicial, mas é primeiro que tudo político. Se um membro do governo tinha uma remuneração extra num valor que excedia largamente o seu salário, isso significa que o servidor do Estado servia a mais alguém, que parece estar acima do Estado. É a credibilidade do sistema político que está em causa.

[…]

José Sócrates, acusado de também ter recebido dinheiros do referido “saco azul”, nada disse até à data sobre os recebimentos indevidos do seu ministro. Os dois partilham segredos de uma governação “incompreensível e lamentável” para não dizer “corrupta e criminosa,” para citar as poucas vozes que procuram salvar a honra do convento. Os dois fazem parte da mesma rede. Para ver como funcionam as redes de influências vale a pena escutar este diálogo telefónico entre Sócrates e Pinho, em que o segundo tenta obter o apoio do primeiro para montar um duvidoso “intercâmbio académico” em Nova Iorque. Na conversa, de Abril de 2014, Sócrates refere Lula (Observador, 21/3/2018):

“MP: É o seguinte: fazer aqui um… programa que envolva países de língua de expressão portuguesa, não é? Ou seja… (…) Oh pá, são 10 dias… eh pá, de… lavagem ao cérebro, pá, convivem com a malta, pá…

JS: Sim, mas quem financia isso?

MP: O que é que eu preciso? Eu preciso de um financiador brasileiro (…)

JS: Mas portanto isso, você precisa do Instituto Lula… Lula da Silva e de uma grande empresa brasileira, que financie isso, não é?

MP: (…) Quantos tipos do PS têm uma experiência destas, de uma semana ou duas nos Estados Unidos onde vão à Bolsa, vão aos museus, vão às galerias, têm umas aulas porreiras, isto e aquilo?”

[…]

[Excerto de artigo, com o título “Um silêncio estrondoso”, da autoria de Carlos Fiolhais, publicado no jornal “Público” de 02.05.18. Os “links” e destaques são meus.Imagem de topo, créditos: Created by Uwe Kils (iceberg) and User: Wiska Bodo (sky). [GFDL or CC-BY-SA-3.0], via Wikimedia Commons]

 

Print Friendly, PDF & Email