«O acordo ortográfico é absurdo» [Manuel Monteiro, entrevista à “Antena 3”]

O acordo ortográfico é absurdo“. Sábias palavras, de facto, tanto estas como outras de igual recorte e semelhante exactidão, as que Manuel Monteiro proferiu em entrevista ao programa “Prova Oral” da rádio Antena 3 há uns dias.

Embora num “registo” ligeiramente diferente do que sucedeu numa entrevista anterior, dado o carácter mais lúdico deste programa em concreto, o motivo (ou pretexto) para esta emissão radiofónica foi ainda a recente publicação do seu novo livro, “Por Amor à Língua“, tendo o autor Manuel Monteiro mais uma vez reiterado e ilustrado (salvo seja) com inúmeras amostras o carácter nauseabundo do AO90.

Seria talvez útil arrolar mais algumas citações, além da lapidar que sumariamente aqui serve de título, porém esse lúdico exercício resultaria em redundância, variações sobre o tema: o acordo ortográfico é mesmo absurdo.

Nada de mais consensual, nisso estamos todos de acordo.

 

Esta quinta chega a vez de Manuel Monteiro: autor, revisor linguístico e formador profissional de revisão de textos….

Publicado por Prova Oral em Quinta-feira, 15 de Novembro de 2018

Esta quinta chega a vez de Manuel Monteiro: autor, revisor linguístico e formador profissional de revisão de textos.

Sobre o seu novo livro “Por amor à língua” escreveu: se chove muito, chove torrencialmente. Se aconselhamos ou recomendamos com ênfase, aconselhamos e recomendamos vivamente. Se rejeitamos ou recusamos, rejeitamos e recusamos liminarmente. Mas se afirmamos, afirmamos categoricamente ou peremptoriamente.

Quando acreditamos, acreditamos piamente; mas quando confiamos, já confiamos cegamente. Se nos enganamos, enganamo-nos redondamente; mas se falhamos, já falhamos rotundamente. E quando alguém mente, não raro, recorremos à rima para o insultar: mente descaradamente. E tudo isto nos deveria IRRITAR SOLENEMENTE (quando alguém se irrita, fá-lo sempre com solenidade).

Print Friendly, PDF & Email