‘Follow the money’

Fechou-se o círculo. Agora, sim, qualquer pessoa pode parar de fingir que ainda não tinha percebido.

À concepção inicial do plano de anexação (1986), através da imposição da língua brasileira (#AO90) a Portugal e aos PALOP, seguiu-se a criação da CPLP (1996), uma invenção integralmente brasileira; conferindo uma aparência de legalidade à ponte aérea que mais tarde teve início, foi assinado um papel baptizado como “Estatuto de Igualdade“; e para garantir que tudo funcionaria sem qualquer engulho, isto é, sem oposição, foi garantida a aprovação sistemática de todos os “acordos” e acções subsequentes (2002); depois de assegurada a aprovação parlamentar (2008) da imposição, da invenção e da aparência de legalidade, ficou por fim lavrada uma coisa a que os acordistas, brasileiristas e vendidos (passe a redundância) chamaram “Acordo de Mobilidade” (2021) — de apenas um sentido — que veio facilitar ainda mais não apenas a dita ponte aérea, como também a operação de export/import em massa de advogados, médicos, dentistas e outros contingentes de pessoal (mais ou menos) especializado, incluindo até os “Bispos” e “Pastores” das inúmeras seitas brasileiras.

Só faltava o “retoque” final, um “fórum empresarial” para “negociar” quantias equivalentes a várias TAP por ano, o que aliás era mais do que previsível. Como reiterada e persistentemente este Apartado tem referido, sempre buscando muito para além das aparências e de forma sistematicamente documentada, a finalidade subjacente às movimentações brasileiristas jamais poderia ser outra que não a de que estamos perante um caso paradigmático de… pura ganância. Ou seja, o disfarce da “língua universau“, a capa da “lusofonia“, a sanha da lusofobia, tudo isso por junto serve apenas para que uns quantos brasileiros obscenamente ricos fiquem ainda mais obscenos e que alguns traidores tugas possam torrar em “putas e vinho verde”, como disse — e bem — Jeroen Dijsselbloem, aquilo que dos brasileiros escorrer como esmola.

Uns e outros pretenderão certamente ser os mais ricos do cemitério (bem, no caso dos tugas, só se forem os mais ricos do talhão), mas aquilo que a ambos os futuros defuntos se deseja é que desfrutem do tempo que lhes resta até que, mais tarde ou mais cedo, se engasguem com a fartura.

Lula participa do Fórum Empresarial Portugal-Brasil nesta segunda

Por O Dia, 23/04/2023
economia.ig.com.br, 23.04.23

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participa nesta segunda-feira, 24, do Fórum Empresarial Portugal-Brasil: Parcerias para a Inovação. O evento tem início a partir das 10h (horário local) em Matosinhos, na região do Porto, em Portugal. Lula será recebido pelo primeiro-ministro português, António Costa. Também estarão presentes a ministra de Ciência e Tecnologia, Luciana Santos, e o presidente da Embraer, Francisco Gomes Neto.

As atividades vão reunir cerca de 200 de empresários, metade deles de cada um dos países, que estarão reunidos em seminário empresarial, rodadas de networking e visitas técnicas.

No sábado, 22, após reunir-se com o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo, em Lisboa, o presidente Lula deu o tom da importância que uma maior aproximação entre empresários brasileiros e portugueses tem para o fortalecimento das relações comerciais das duas nações.

“Temos um potencial extraordinário para dobrar o fluxo de comércio exterior entre nossos países. Podemos ser mais ousados. Permitir que nossos empresários e ministros conversem mais. Discutam mais em busca de perspectivas de futuro no financiamento de nossas indústrias e produtos. O papel de um governante é abrir as portas, mas quem sabe fazer negócio e tem competência para isso são os empresários”, afirmou Lula.

Realizado no Centro de Engenharia e Desenvolvimento (CEiiA), o Fórum terá a participação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), coorganizadora do evento. Na abertura, o presidente da Apex, Jorge Viana, deixará uma mensagem aos participantes, que representam setores ligados à inovação em áreas como transição energética, saúde, mobilidade, além de startups. Haverá a assinatura de um Memorando de Entendimento entre a Apex e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

O seminário, composto por quatro painéis ligados a esses campos, abordará as possibilidades de atração de investimentos bilaterais e debaterá os potenciais a serem explorados pelos dois países. Após o seminário, os cerca de 200 empresários integrarão rodadas de networking em uma programação que ainda terá visitas técnicas a centros de desenvolvimento tecnológico e a uma empresa do país anfitrião ligada à área de mobilidade para cidades inteligentes.

A presença da Embraer no Fórum é um dos destaques do Brasil. O projeto do avião KC-390 da Embraer, que acabou incorporado à Força Aérea Portuguesa, contou com a contribuição do Centro de Engenharia e Desenvolvimento (CEiiA), o que representou um novo paradigma entre os dois países no campo da cooperação empresarial.

Os investimentos realizados pela Embraer em Portugal, na OGMA (Indústria Aeronáutica de Portugal) e em duas fábricas no Parque Industrial de Évora, alcançam US$ 500 milhões, tendo gerado por volta de 2.500 empregos diretos e sete mil empregos indiretos, além da cooperação tecnológica em uma área estratégica. Um contrato entre a Embraer e o governo português prevê a entrega de cinco aeronaves KC-390 à Força Aérea Portuguesa. Uma por ano, a partir de 2023, pelo montante de 872 milhões de euros.

Neste Fórum, representantes da Embraer apresentarão algumas de suas inovações urbanas, como o projeto do veículo voador, além do compromisso da empresa com a descarbonização e a transição energética e a promoção de temas como a mobilidade urbana e regional.

Já na área da saúde, o Fórum terá a participação da Fiocruz, que teve a cooperação estreitada com instituições portuguesas durante a pandemia e assinou novos acordos de cooperação neste sábado, durante a Cimeira Brasil – Portugal, que resultou num total de 13 instrumentos de cooperação. Já o Banco do Brasil, que também integra o evento, destacará investimentos em novas fontes de energia, com destaque para energia eólica e o hidrogênio verde, dois campos com enorme potencial brasileiro.

[Transcrição integra, sem correcção automática (jornal brasileiro).
Destaques a “bold” e a vermelho meus. Inseri “línks” internos (a verde)
com as respectivas notas/citações.]

“Do que temos mesmo pena é de não falarmos com o vosso sotaque.»
«O Brasil pode sempre contar com Portugal como verdadeiro ponta-de-lança para trabalharmos para a conclusão tão rápida quanto possível do acordo entre a União Europeia e o Mercosul. E tenho registado a grande determinação do presidente Lula da Silva em tão rapidamente quanto possível podermos chegar a este acordo.» António Costa

Governo quer fechar acordo UE-Mercosul neste semestre, diz secretário

Secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Márcio Elias Rosa está na comitiva presidencial de Lula

Por Brasil Econômico, 23/04/2023

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Márcio Elias Rosa, disse neste domingo (23) que o governo federal espera chegar a um acordo comercial com a União Europeia (UE) até o fim do semestre.

“O acordo já evoluiu bastante e a expectativa é que fecha este ano. Nosso desejo (do Brasil) é fechar neste semestre”, disse Rosa, que integra a comitiva que participa da 13ª Cúpula Luso-Brasileira.

O bloco europeu exige contrapartidas na área ambiental do governo brasileiro, mas o secretário está confiante no desfecho nos próximos meses.

“Estas exigências nas questões ambientais, dá para superar, porque são fruto do desconhecimento do que já realizamos (neste governo) em termos de legislação ambiental (…) Estas questões ambientais, eu não posso dizer que são barreiras para impedir o acordo, mas muitas vezes são barreiras alfandegárias e aduaneiras. Na proteção agrícola, muito embora seja compreensível, todos querem proteger o seu, mas isso não se justifica quando vemos os dados”, disse Rosa.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) defendeu neste sábado (22), durante viagem oficial a Portugal, a validação do acordo comercial entre União Europeia e Mercosul.

Em declaração ao lado do primeiro-ministro de Portugal, António Costa, durante a 13ª Cimeira Luso-Brasileira, o chefe do Executivo ressaltou que faltam “pequenos ajustes”, mas assegurou que o tratado será concluído.

“No que depender de mim, a gente vai fazer o acordo União Europeia e Mercosul. Faltam pequenos ajustes que temos condição de fazer”, disse Lula, pedindo também a conclusão de uma “discussão mais séria” para um pacto entre UE e a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac).

“Se depender de mim, a gente vai rearticular a unidade da América do Sul, porque a gente quer provar que juntos nós somos um grande bloco econômico e juntos temos muito mais chances de negociar em igualdade de condições com a União Europeia”, destacou Lula.

[Transcrição integra, sem correcção automática (jornal brasileiro).
Destaques a “bold” e a vermelho meus. Inseri “línks” internos (a verde)
com as respectivas notas/citações.]

Follow the money” is a catchphrase popularized by the 1976 docudrama film All the President’s Men, which suggests political corruption can be brought to light by examining money transfers between parties.” [Wikipedia]

Print Friendly, PDF & Email

Deixe um comentário