Dia: 15 de Fevereiro, 2024

«O sentimento antilusitano» [Raphael Machado, “Telegram”, 13.02.24]

Raphael Machado

O sentimento antilusitano de universitários e acadêmicos brasileiros não é um problema de ignorância, é um problema de fundo psiquiátrico.

Não se resolve com estudo, mas com tratamento ou internação.

Considerando a predominância da genética portuguesa no Brasil, inclusive entre pessoas que se identificam como negras ou pardas; considerando os sobrenomes herdados de ancestrais portugueses; considerando o uso diário da língua portuguesa e o aproveitamento permanente das instituições lusobrasileiras, trata-se no mínimo de um problema de baixa autoestima.

Mas eu acho que é até mais profundo.

Poderíamos associar essa doença à síndrome de alienação parental, por exemplo, em que uma força externa afasta a pessoa de um de seus pais, o que resulta eventualmente em ressentimento, medo e ódio em relação ao pai afastado.

Essa força externa, no nosso caso, seria a infiltração nefasta de valores e ideias progressistas importadas das universidades estadunidenses e europeias – intelectuais que seguem um paradigma desconstrucionista implantaram no Brasil um anseio por ruptura com o próprio passado e a própria herança, em sua luta quixotesca contra toda forma de determinismo (inclusive o da história e da raiz cultural-identitária).

Mas em um sentido mais geral trata-se até mesmo de um verdadeiro complexo paterno, algo praticamente edipal. Veja-se, por exemplo, o prazer mórbido e selvagem com o qual alguns brasileiros se comprazem com a imigração brasileira a Portugal. Há aí um elemento de um anseio por assassinar o próprio pai.

O Brasil, portanto, colocando em termos mais populares, tem “daddy issues”. Peculiarmente doentio.

E aqui ainda estou pegando leve.

Porque talvez não seja uma questão de tratamento psiquiátrico; talvez o Brasil precise mesmo é de um exorcismo.

t.me/camaradamachado/2027
4.3K views
Feb 13 at 02:13

[Transcrição integral. Destaques e “links meus.]
[“Post” no “Telegram” apontado por Francisco João da Silva.]


Pesquisa Google (imagens) em 03.07.22; critério de pesquisa: “lusofobia”