Apartado 53

Um blog contra o AO90 e outros detritos

Etiqueta: Internet

Em Português – 66

“Saco de Gatos” – Associação Cultural

~ ~ ~ ~ ~ Sábado 17 de Fevereiro ~ ~ ~ ~ ~ Parede Vermelha habitada com trabalhos de Xavier Paes "…

Publicado por Gato Vadio em Sábado, 17 de Fevereiro de 2018

A inauguração conta ainda com a projecção do trabalho “Nessum Dorma”, com música ao vivo.

“Saco de Gatos” – Associação Cultural
Website | Facebook


Companhia Olga Roriz

Publicado por João Pedro Graça em Terça-feira, 20 de Fevereiro de 2018

Os espectáculos da Companhia são o resultado de um processo criativo eivado de referências ao universo teatral, literário, cinematográfico, fotográfico e outros que parecem ser tangenciais à arte mas que actuam igualmente como fonte inspiradora e instrumentos de trabalho.

Companhia Olga Roriz
Website | Facebook


Cutla – Universidade Sénior da Amadora

Boas Festas!

Publicado por Cutla – Universidade Sénior da Amadora em Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Cutla – Universidade Sénior da Amadora
Website | Facebook

Share

Em Português – 64

Obra da Rua ou Obra do Padre Américo

Publicado por Apartado 53 em Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2018

Conheci o Padre Américo quando eu teria uns dez anos e ele foi falar da Casa do Gaiato a Vila Real de Trás-os-Montes, onde nasci. Acompanhei meu Avô materno, que se afirmava agnóstico convicto.
Após a apresentação dos objectivos que animavam a Obra da Rua, expostos com uma firmeza e uma alegria que deixavam perceber a força de uma personalidade de excepção, meu Avô disse-me baixinho: “Olha, meu netinho, se houver dois padres como este, converto-me ao catolicismo.

Obra da Rua ou Obra do Padre Américo
Website | Facebook


Revista “Audio & Cinema em Casa”

Publicado por Apartado 53 em Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2018

Revista “Audio & Cinema em Casa”
Website | Facebook


Edisoft – Defence & Aerospace Technologies

Ricardo Conde, Director de Operações da Estação de Rastreio de Satélites da EDISOFT na ilha de Santa Maria nos Açores em directo para a EXAME INFORMÁTICA TV.

Publicado por Edisoft – Defence & Aerospace Technologies em Quinta-feira, 17 de Novembro de 2016

Ricardo Conde, Director de Operações da Estação de Rastreio de Satélites da EDISOFT na ilha de Santa Maria nos Açores em directo para a EXAME INFORMÁTICA TV.

Edisoft – Defence & Aerospace Technologies
Website | Facebook

Share

Em Português – 63

LAM – Linhas Aéreas de Moçambique

#CompreOSeuBilheteOnlineÉ MAIS FÁCIL, RÁPIDO E BARATOAdquira já o seu bilhete em www.lam.co.mz e navegue em um mundo…

Publicado por LAM – Linhas Aéreas de Moçambique em Segunda-feira, 16 de Outubro de 2017

• Possibilidade de efectuar o Check-In online;

LAM – Linhas Aéreas de Moçambique
Website | Facebook


Universidade Sénior De Oeiras – Associação Cultural

Grécia

GRÉCIA – Atenas e IlhasViagem de Final de Ano Lectivo21 a 28 Junho

Publicado por Universidade Sénior De Oeiras – Associação Cultural em Terça-feira, 19 de Dezembro de 2017

Viagem de Final de Ano Lectivo

Universidade Sénior De Oeiras – Associação Cultural
Website | Facebook


QSintra (movimento de cidadãos)

ABATE DE MILHARES DE ÁRVORES ! Ameaça à Paisagem Cultural de Sintra! (veja mais sobre Sintra em http://qsintra.com)…

Publicado por QSintra em Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2018

QSintra (movimento de cidadãos)
Website | Facebook

Share

Em Português – 62

Fotografia Portugal / Portugal Photography

Sugestões de óptimas viagens pelos "recantos mágicos" de Portugal http://fotografiaportugal.pt/site/exposicoes/foto-photo-portugal/

Publicado por Fotografia Portugal / Portugal Photography em Sábado, 3 de Fevereiro de 2018

Sugestões de óptimas viagens pelos “recantos mágicos” de Portugal

Fotografia Portugal / Portugal Photography
Website | Facebook


Associação para a Resiliência da Região de Lisboa

Finanças Éticas representam um paradigma alternativo à Indústria Financeira actual, reconhecendo que a mesma se afastou…

Publicado por Associação para a Resiliência da Região de Lisboa em Sexta-feira, 10 de Novembro de 2017

Por exemplo o apoio a projectos de desenvolvimento sustentável, ao sector não governamental, além do suporte a pequenas e médias empresas.

Associação para a Resiliência da Região de Lisboa
Website | Facebook


Teatro Meridional

DEVÍAMOS TER PARADOCriação: TEATRO MERIDIONALEncenação: Miguel SeabraTemporada: Até 17 DezembroReservas: 91.999.doze.trezewww.teatromeridional.net

Publicado por Teatro Meridional em Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Na foto de @SusanaMonteiro 2017, as Actrizes Margarida Gonçalves e Mónica Garnel. Do elenco do espectáculo também fazem parte os Actores Paulo Pinto, Telmo Mendes, Miguel Damião, Rosinda Costa e o Músico Rui Rebelo.

Teatro Meridional
Website | Facebook

Share

«A nova gramática do fascismo» [João Gonçalves, “J.N.”]

A nova gramática do fascismo

João Gonçalves

“J.N.”, 12.02.18

O “Diário da República Electrónico” usa o “aborto ortográfico” à semelhança, aliás, do que fazem todos os organismos oficiais, na sua inconfundível língua de pau, e a generalidade da doutrina jurídica editada em livro. Fui lá ler, levado por uma rede social, esta Lei da Assembleia da República. Saiu discretamente na sexta-feira passada (Lei n.º 4/2018, de 9 de Fevereiro), sob a designação de “regime jurídico da avaliação de impacto de género de actos normativos”, e entra em vigor a 1 de Abril. Não tem “memória explicativa”, pelo que entra logo a matar. A “avaliação”, prévia ou sucessiva, destina-se a que os actos normativos do Estado (Central, Regional, do Governo e do Parlamento) “ponderem”, antes de serem produzidos (e “entre outros” aspectos), “a incidência do projecto de acto normativo nas realidades individuais de homens e mulheres, nomeadamente quanto à sua consistência com uma relação mais equitativa entre ambos ou à diminuição dos estereótipos de género que levam à manutenção de papéis sociais tradicionais negativos”. Para o efeito, o, a, ou outra coisa qualquer dantes designada por legislador entende que “a avaliação de impacto de género deve igualmente analisar a utilização de linguagem não discriminatória na redacção de normas através da neutralização ou minimização da especificação do género, do emprego de formas inclusivas ou neutras, designadamente por via do recurso a genéricos verdadeiros ou à utilização de pronomes invariáveis”. O procedimento tem uma “situação de partida” definida como “um diagnóstico da situação inicial sobre a qual vai incidir a iniciativa em preparação, com recurso a informação estatística disponível e informação qualitativa sobre os papéis e estereótipos de género, considerando ainda os objectivos das políticas de igualdade de oportunidades”. E o “impacto” será “positivo” quando, por exemplo, se verificar “um impacto transformador de género” sem que a lei esclareça a que “transformação” se refere. O “impacto” terá ido tão longe que levou o impactado ou a impactada a mudar de sexo? Não diz. Mas pode ser que as “acções de formação” previstas no art. 16.º possam responder. Para isto é preciso uma “polícia do espírito” que assegure o recurso a “genéricos verdadeiros”, a “utilização de pronomes invariáveis” e que proíba, finalmente, “estereótipos de género”. Em suma, precisa-se de agentes públicos que saibam manusear esta nova gramática do fascismo.

João Gonçalves

[Transcrição integral (e conforme o original, sem parágrafos) de artigo de opinião, da autoria de João Gonçalves, publicado no “Jornal de Notícias” de 12.02.18. Imagem de topo (citação de George Orwell) de: http://www.famousquotes123.com/ ]

Share

«Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional» [“Expresso das Ilhas”, 08.02.18]

Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional

Por Chissana Magalhães, 8 Fev 2018 13:37

O Instituto do Património Cultural (IPC), que integra o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, vai trabalhar uma proposta para a oficialização da Língua Cabo-Verdiana no quadro da revisão constitucional que deverá acontecer nos próximos tempos. Antes, e como estratégia nesse sentido, já vai começar a trabalhar um dossier para classificação da Língua Cabo-verdiana como património imaterial nacional.

Em entrevista ao Expresso das Ilhas (ver edição nº 845 desta quarta-feira), o presidente do IPC avança que o dossier será trabalhado na mesma linha que outros dossiers de classificação de património imaterial, como foi o caso da festa de São João – cuja classificação aconteceu em finais de Novembro passado – e contemplará a realização de um inventário.

“A nossa perspectiva em relação à oficialização é no reconhecimento do património maior de Cabo Verde que é a língua materna. Para este efeito o que se prevê é a classificação da Língua Cabo-verdiana como património nacional”, diz Jair Fernandes que explica que já se vai avançar para a preparação de um dossier técnico.

Fernandes garante que a classificação a património nacional abrirá o caminho à oficialização uma vez que esta pressupõe um reconhecimento nacional, “independentemente da questão da padronização, que acontecerá num segundo momento e cujo actor será o Ministério da Educação”.

Sobre as discussões que têm feito tardar a oficialização da única língua materna de Cabo Verde o historiador e especialista em turismo cultural defende que “a questão da oficialização da língua crioula cabo-verdiana acaba por ser um pouco como o da morna: todos queremos participar mas, exige uma certa cientificidade nas abordagens”.

O responsável do IPC acredita que a oficialização irá passar por desmitificar os conceitos, e garante que o Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC, não pretende a curto prazo entrar em debates sobre a padronização da língua.

“É um outro nível de discussão que, infelizmente, tem sido muito deturpada”, constata.

Sobre a coabitação de duas línguas oficiais – no caso o Português e o Cabo-verdiano – Jair Fernandes analisa positivamente as experiências de ensino bilingue realizadas tanto em Portugal como em Cabo Verde – “temos provas claras de que tem sido um sucesso” – e cita os exemplos de países como Moçambique e Timor onde o Português convive com várias dezenas de línguas oficiais, sem que isso tenha “posto em causa” a Língua Portuguesa.

Classificando a questão à volta das variantes como um “fait-divers”, Fernandes reitera: “alguns sectores da vida política e social acabam por deturpar determinadas informações e a estratégia é precisamente dar uma nova roupagem à questão da oficialização da língua. Nós, o que queremos de momento é a classificação como património. No quadro da revisão da Constituição da República iremos trabalhar uma proposta para o artigo 9º, que é a inclusão da Língua Cabo-verdiana como língua oficial”.

Na entrevista à edição impressa do Expresso das Ilhas, Jair Fernandes aborda ainda outros dossiers de classificação a património, o projecto Museus de Cabo Verde, o Plano de Gestão da Cidade Velha, entre outros tópicos.

[Transcrição integral de Língua Cabo-verdiana vai ser classificada património nacional. Publicação de “Expresso das Ilhas” (Cabo Verde), 08.02.18. Imagem de topo, bandeira de Cabo Verde, importada de “BandeirasNacionais.com“.]

Share
Apartado 53 © 2017 Frontier Theme