Chapéus há muitos, sistemas também

A propósito dos recentes problemas com o Sitemeter, que bloqueou o acesso dos utilizadores do Internet Explorer aos milhões de blogs que usam aquele contador de visitas, e aproveitando em parte um comentário que deixei no blog Art&Design de Isabel Filipe, seguem-se algumas indicações que poderão ajudar a prevenir este tipo de chatices.

1. Com o serviço gratuito Browsershots, podemos ver a(s) nossa(s) página(s) com os “olhos” de diversos browsers, em ambientes Linux, Windows, Mac Os e BSD (Unix). Basta indicar o endereço do seu blog ou página e esperar uns minutos pelos resultados. Pode seleccionar todas as 61 combinações de sistema/navegador ou apenas algumas delas.

São surpreendentes as diferenças de interpretação/leitura entre os diversos binómios S.O./navegador. O serviço Browsershots mostra imagens dos resultados devolvidos por cada um deles, permitindo assim detectar incompatibilidades e problemas diversos.

Poderá guardar as imagens (snapshots) resultantes e utilizá-las, por exemplo, como logótipo do seu blog, ou simplesmente como arquivo histórico.

2. Para validar e corrigir o código (HTML, XHTML, etc.), o W3C Markup Validation Service é a ferramenta universal e indispensável. Indique o endereço que lhe interessa e obtenha rapidamente uma lista de erros, com explicações e pistas para a respectiva solução; pode parametrizar e, de certa forma, condicionar o tipo de validação

Não existem sistemas perfeitos, como não existem programas de navegação à prova de falha. O erro, neste caso, foi da Sitemeter – e a “colisão” com o IE, que paralisou durante dois ou três dias uma enormidade de blogs e sites, ficou a dever-se aos (por vezes absurdos) níveis de segurança e de (in)tolerância ao erro deste browser, relativamente aos outros.

O ideal seria optar sempre ou o mais possível por código “crossbrowser” (transparente) mas, ainda assim, nem tudo estaria previsto; não existe código de betão, geral e permanente ou perene.

3. Sem stress.

Nisto dos computadores, tudo se torna obsoleto muito rapidamente. Não adianta nada ao utilizador comum, ou seja, aos 99% de pessoas que têm blogs e navegam na Internet, tomar partido por um programa de navegação (browser) ou por um sistema operativo; pode instalar mais do que um de cada, em alegre convivência, no mesmo aparelho. Não se rale com as “bocas” pseudo-ilustradas dos “geeks” mais coloridos que por aí pululam, aqueles que juram por todos os santinhos e pela saúde de suas respeitáveis mãezinhas que o Firefox é que é o supra-sumo dos browsers e que o Linux é a fina flor, o sistema dos sistemas operativos. Em informática, toda a flor viçosa se transforma rapidamente na mais pura e fina flor do entulho; aquilo que hoje é “o máximo”, amanhã não passa de sucata.

Ter alternativas é inteligente e prudente. Mas não vale a pena entrar em pânico por coisa tão pouca. Aliás, como agora se viu de novo, há muita gente cuja profissão é resolver problemas… e não inventá-los.

ANTES DE MEXER NO “TEMPLATE” DO SEU BLOG, GUARDE UMA CÓPIA DE SEGURANÇA!

Nota: curiosamente, há muito poucas referências ao Browsershots na Web portuguesa…

2 comentários em “Chapéus há muitos, sistemas também”

  1. Pois, também já tinha a intenção de avisar o “pessoal” todo. Primeiro foi a “inactividade”, agora são as sobrecargas de SQL. Vigarices…
    É mais um esquema em pirâmide: dizem que pagam ao fim de 20 inscrições mas, assim que alguém reúne 5 ou 6 novos utilizadores, desatam a levantar dificuldades; logo que se chega às 10 ou 15 inscrições, anulam a conta, fecham o nosso espaço, com alegações várias e, por fim, não pagam nem um tostão. Entretanto, alguns dos nossos inscritos já lhes estão a apagar a eles…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *