Palavra de honra?

click para ver e ouvir o vídeo em janela exterior(SIC)

Alguém deveria explicar ao Primeiro-Ministro de Portugal três coisinhas singelas.

Uma: parafraseando Almeida Garret (“eu tenho dois tês no nome, é favor lerem ao menos um deles”), o nome comercial “Freeport” tem um tê no fim e não é Francês, portanto é favor dizer “Freeport” e não “freepore”.

Duas: a Procuradoria Geral da República não é a “única autoridade competente para prestar esclarecimentos idóneos”. Não convém lá muito passar atestados de trafulhice a instituições nacionais tão insuspeitas como a Polícia Judiciária ou o Ministério Público.

Três: na expressão “Aqueles que utilizam poderes ocultos para dirigirem e para orientarem campanhas negras não terão sucesso” existem dois erros de Português.(*)

Texto da comunicação do PM ao país em 29.01.09 (Portal do Governo).

(*) Esta frase foi respigada daqui.

2 comentários em “Palavra de honra?”

  1. O gajo afinal é politicamente culto, utiliza os mesmos argumentos que outros antes dele também usaram, essa dos poderes ocultos que dirigem e orientam campanhas negras nem lembraria ao… Hitler! Espero que ele continue a cometer erros, de sintaxe e outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *