7 comentários em “PSP: Pode Ser Pornografia”

  1. Por acaso à hora de almoço, passei diante da TV (ligada para as moscas) e apercebi-me dessa apreensão, não percebendo obviamente as razões porque cheguei tarde demais. Pasmei ainda assim. Pensei para os meus botões (nem comentei com a família) que estaria eventualmente a perceber mal a coisa. Esqueci entretanto. Agora ao receber os feeds do Apedeites é que me lembrei da cena… será que voltámos ao tempo da outra senhora? Não sei como era nessa altura, mas calculo pelo que se contava.
    Será que é púd(b)ica censura? Terei percebido mal?
    Será que ARTE agora é algo obsceno? Não pode!!!!
    Como artista plástico sei que a fronteira entre o erótico e o pornográfico é difusa, subjectiva e pessoal. Muda de acordo com a época e com a cultura. Mas, “óbalhamedeuze” estamos em pleno sec. XXI, em plena época em que assistimos aos desvarios sobre casamentos de gays; comemos, quer queiramos ou não, com todas as cenas explícitas nas TV’s públicas, ou privadas; vemos paradas de loucos gays e por aí fora…
    enfim, só faltava mais esta neste país bolorento – a “censura” na arte!
    Imagina/conhecerá o(s) autor(es) da dita censura a escultura monumental de Ron Mueck, cheinha de pelinhos e alma??Não creio.
    Para quem não conhece aqui fica um link que merece ser visto:
    http://blog.uncovering.org/archives/2008/01/ron_mueck_escul.html

    Abraço
    Paula

  2. Quando vejo alarvidades destas, no mínimo tenho uma reacção visceral.
    A ser assim, os museus estão repletos de pornografia, e a mero exemplo, recordo-me do Museu Picasso que tem uma ala destinada ao “nu”, onde se podem ver quadros que vão da mulher menstruada à orgia. Recordo-me também da original estátua da República com um seio desnudado.
    Esta prática a propagar-se como será? Volta-se ao tempo das piras públicas onde se queimaram milhares de livros e quadros?
    Já agora, da forma semi-vestida que imensas figuras se apresentam na TV, por exemplo a Luciana Abreu no seu show infantil, a programação também vai ser censurada para lástima de muitos pais que se deliciavam a ver TV com os seus filhos? (ironia)
    Importa que este bando controlador saiba discernir, mas na ânsia repressiva que lhes insufla o Ego a racionalidade perde-se.

  3. Por mais inacreditável que isso possa parecer, o “boneco” de Herman José, “nosso” Diácono Remédios, não é uma caricatura; é a mais pura realidade, o chui cretino que existe em cada portuguesinho típico.

    De estranhar será talvez a relativamente baixa frequência com que estas coisas se sabem. Portugal está a abarrotar de imbecis deste calibre.

    O espírito de “cabo-de-mar” (o xidadão fáxabore de tapar o umbiguinho, xim, que ixto aqui não é do Xoana”) está geneticamente disseminado, não é uma coisa exclusiva – como se vê – dos tempos da “outra senhora”.

  4. Pingback: País BOLORENTO!
  5. Tendo-se verificado que o livro reproduz uma obra de arte e não havendo fundamento para a respectiva apreensão, foi determinado o envio de uma comunicação ao Ministério Público, para considerar sem efeito o respectivo auto.

    Com tal comunicado oficial, fica patente que o revés da apreensão, após tamanho burburinho, se deve ao quadro famoso, mas que mal pergunte: se o quadro fosse da autoria do Ti Manel o desfecho seria outro? Ou em ultra análise, o livro em causa, por si só, não é uma obra de arte? Não é de censura que se trata?

  6. De facto é mais um episódio trágico-cómico (ao melhor estilo, tipo gajas nuas no lhães-coiso) bem revelador do preocupante obcurantismo em que ainda estamos mergulhados.
    Falávamos nós recentemente de cibercultura… LOL!
    Por aqui, no antro/pântano só se for Koltura, porque os koltos «andem aí» de farda, ou fatuxos e colarinho branco-mais-branco-não-há, com ou sem luvas “fripor”!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *