Facebook=passador?

Depois do “spyware” no Facebook, há uns dias, agora surge um “worm” de outro tipo no mesmo Facebook.

Ontem à noite, usando a janela de “chat” do FB, deparo com a seguinte mensagem: Some content in this message has been reported as abusive by Facebook users.

O conteúdo (aparentemente) “censurado” era a muito inocente expressão idiomática “gaba-te cesto“. Lançado o alerta via Twitter (com propagação automática no FB), algumas pessoas experimentaram escrever essa mesma expressão nas suas caixas de “chat” e outro tanto lhes sucedeu: foram também contempladas com a mensagem de “conteúdo abusivo”, e por conseguinte, a frase não chegava ao interlocutor.

Depois de testar dezenas de outras expressões, em Português e em Inglês, umas mais insultuosas, outras nem tanto, sempre sem qualquer resultado, e depois de verificar que o tal inocente “gaba-te cesto” tinha deixado de ser barrado, a Google deu – como de costume – conta do recado: trata-se de um “worm” do Windows chamado W32.Koobface.A. que, entre outras coisas nada engraçadas, é capaz de “raptar” a sessão (session hijacking) do utilizador no Facebook, enviando mensagens “piratas” a todos os seus “amigos” naquela rede.

A tal mensagem de “censura”, é claro, vem também como anexo deste “vírus”, de presente.

A Symantec (Norton Anti-Vírus, NAV), garante que a coisa é de baixo risco. Mas vai adiantando as formas de remoção segura deste vírus, mesmo sendo “pouco” perigoso. Para quem tiver outros programas anti-vírus (ou nenhum, porque ainda há disso), o site Precise Security providencia instruções gerais para eliminação deste “worm”.

Em conclusão: à média de um ataque generalizado por dia, ou pouco menos, o Facebook arrisca-se a ganhar a nada recomendável medalha de plataforma mais insegura (ou apetecível?) de todas as redes sociais virtuais, à escala global.

As referências técnicas (e links) neste “post” foram obtidas no blog de Chris Shiflett.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *