Quem sai aos seus…

CARTAS

GALVÃO DE MELO

Eu, Carlos Galvão de Melo, filho do general Galvão de Melo, venho solicitar a correcção de uma afirmação feita pelo sr. dr. Mário Soares no artigo de opinião publicado no DN de dia 25 de Março. Gostaria, no entanto, de começar por agradecer as palavras proferidas pelo sr. dr. Mário Soares pelo expressar dos sentimentos à família e pelos rasgados elogios ao meu pai. Contudo, não posso deixar passar em claro e de desmentir uma afirmação que é feita no referido artigo e que passo a citar: “(…) Nos idos de 1946, estava então na Granja do Marquês, como oficial da Força Aérea, no início de carreira, teve a coragem de ajudar Palma Inácio, quando este na preparação de uma intentona anti-regime, sabotou os aviões da base (…).”

Como filho e como português, sinto-me ofendido com tal afirmação. O meu pai foi sempre um homem que serviu a sua pátria, que tanto amava, com coragem, justiça e sempre com verdade. Sabotagens deste tipo são atitudes de cobardia e não de coragem. Digno foi sempre o seu comportamento, que, em circunstância alguma, se esconderia, ou escondeu, na prática de actos tão cobardes, como aquele que é mencionado no artigo do sr. dr. Mário Soares. O meu pai foi sempre um homem que dizia o que tinha a dizer com a frontalidade que lhe era reconhecida, como tantas vezes aconteceu no decorrer da sua vida militar e civil.

A afirmação feita pelo sr. dr. Mário Soares é, assim, totalmente infundada, atentatória da memória e do bom-nome, não apenas do meu pai, mas de todos aqueles que um dia serviram e servem Portugal, na Força Aérea.

Como oficial piloto-aviador, o meu pai era incapaz de desonrar os grandes homens que tiveram a honra de servir na Força Aérea portuguesa, bem como aqueles que a servem na actualidade, sendo oficiais, sargentos ou praças, e a quem dirijo os meus agradecimentos pela camaradagem demonstrada e pela forma como sempre o acarinharam e honraram, inclusive no momento da sua morte. Por essa razão, não posso deixar de, em meu nome pessoal e da minha família, agradecer e prestar a minha homenagem à Força Aérea pelas honras que lhe prestaram aquando do seu funeral.

Carlos Galvão de Melo (filho)

Esta carta (link não disponível) foi publicada no Diário de Notícias de hoje, a páginas 6, e refere-se ao artigo da autoria do ex-Presidente da República, Dr. Mário Soares, que se pode ler na íntegra no endereço
http://dn.sapo.pt/2008/03/25/opiniao/uma_personalidade_singular.html.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *