Intolerável intolerância

Segunda-feira, 14 de Julho de 2008
(3265) A HERANÇA DO PC EM LOURES
Comentário do Jose Barão das Neves a propósito do far-west de Loures:

“Já agora convém recordar que este bairro é o resultado da politica de habitação social da CM de Loures, “comandada” pelo Sr. Demétrio Alves! Lembram-se? Ah! E já agora convém recordar que esta mesma politica foi em 1996 fortemente criticada por mim e pelo signatário deste blog numa audiência que o então presidente nos concedeu. Depois vieram os cartões de crédito e outros casos “menores” e este senhor desapareceu.”

Bem lembrado.
publicado por Jorge Ferreira às 15:49
link do post | comentar |^

3 comentários:
De Demétrio Alves a 17 de Julho de 2008 às 16:53
Relativamente ao comentário do José B. Neves quero referir o seguinte:
1- Trata-se de uma torpe e cobarde difamação referir aspectos pelos quais nunca fui condenado, nem sequer acusado. Fui, é certo, caluniado por indíviduos da estirpe deste Neves, que, anonimamente, me tentaram atinjir, visto serem incapazes de me vencer democraticamente.
2- Eu não desapareci nem emigrei como alguns miseráveis puseram a circular. Estou e sempre estive em Portugal, a trabalhar e a estudar, e não gozo de rendimentos, nem vivo de negócios.
3- O próximo comentário deste tipo que venha a ser produzido neste blog levar-me-à a colocar-lhe imediatamente um processo judicial, ao autor e ao blog, dado que ele é “moderado”.
4- Quanto à questão : – Virem, dez anos depois,tentarem responsabilizar os realojamentos feitos, conotando-os erradamente com a Expo 98, prova a qualidade dos políticos activos que neste momento estão à frente da Câmara de Loures. Nestas alturas é costume aparecerem dois tipos de comentários: os provenientes dos “iluminados”, ex-políticos e académicos, que tudo sabem e raramente falham, e, por outro lado, também é normal que quem está a falhar na gestão municipal venha tentar desculpar-se com o passado. Tratam-se de desculpas de maus pagadores.
É de perguntar apenas quatro coisas: 1ª – Que acompanhamento social está a ser feito para que a CMLoures tenha sido “surpreendida” com os acontecimentos? 2ª – Porque não se fizeram mais realojamentos, mantendo-se as várias “Nódoas” sociais e urbanísticas visíveis, por exemplo, no Prior Velho e na Portela? 3ª Será que estes grandes “especialistas de ocasião” também defendem que haja bairos para negros, bairros para brancos, bairros para ciganos, etc., ? 4ª – Será que estas explosões sociais não têm nada que ver com as políticas liberais que vêm sendo praticadas nos últimos anos, ou sera que também sou eu (ou o meu pai) o responsável por elas?

Demétrio Alves, investigador e-GEO,UNL

responder a comentário

(3294) DEMÉTRIO ALVES
O antigo presidente da Camara Municipal de Loures decidiu ameaçar o Tomar Partido com processos judiciais por causa de um comentário do José Manuel Barão das Neves que aqui publiquei . Cumpre esclarecer: 1º No meu entendimento nada há a apontar de ilícito no comentário que publiquei. Há muitos comentários insultuosos e difamatórios que assumidamente não publico. Achei que não era este o caso. 2º Estão na moda os processos a blogues; não fora estar habituado a processos por via da minha actividade profissional, até achava graça que o Tomar Partido tivesse um; 3º Fique bem ciente, caro Demétrio Alves: não me intimida. Ponha lá os processos que entender, se quiser, mas não me intimida. Quanto ao mais, viva a liberdade de expressão.

publicado por Jorge Ferreira às 11:36
link do post | comentar |

Com a devida vénia ao autor do blog Tomar Partido, estas duas caixas de citação contêm os textos integrais de dois posts e de um comentário ali publicados. O destaque a “bold”, motivo do presente “post”, é de minha autoria.

Como se vê, abriu a época da caça ao blog. Curiosamente, e como também já se sabia mas não deixa de sempre surpreender, os mais virtuosos do gatilho, os mais assanhados caçadores são os indefectíveis adeptos das “amplas liberdades” e da “verdade a que temos direito”: comunistas, ex-comunistas, arrependidos e assimilados do “socialismo real”, os ex-campeões da “luta” pela “liberdade de imprensa” e pelo “direito de opinião”.

Eles aí estão, de espingarda jurídica aperrada, com suas cartucheiras de “legalidade” garbosamente cruzadas no peito, quais bandoleiros da “justiça” à medida das conveniências, travestidos de defensores da “honra e dignidade” de suas excelentíssimas pessoas mai-las mesmas coisas e outras pendurezas de seus correligionários. Vêm em chusma, armados até aos dentes, em marciais e impenetráveis camuflados jurídicos e com os seus capacetes de aço mental de fivela bem apertada.

A gente, nós outros, a pardalada blogueira que por aqui anda, arrisca-se a levar chumbo grosso pelos costados, à mínima piadela fora do beiral, ou seja, por via desse tal crime de “difamação” hoje em dia tão fácil e maneirinho, o mesmo a que dantes se chamava a mijadela fora do penico. Alguns pardalecos já se vão mesmo acagaçando, metendo o rabinho entre as pernas, enfiando-se em buracos, emigrando para outras paragens mais remansosas e pacatas; outros, ainda mais cobardolas do que aqueles, refugiam-se na segurança do número, juntam-se em bandos (ou “associações”, ou lá o que é), procurando escapar a zagalotes e a maçadas várias com a simples lógica das probabilidades e da divisão de riscos.

Pois, senhores caçadores, há boas novidades e há más novidades; o que preferem primeiro? As boas? Pois sim: as boas são que os senhores podem realmente atirar à vontade. As más notícias são, por coincidência, rigorosamente o mesmo: podeis atirar à vontade.

Há quem não vos tenha medo nenhum, adiante-se, para o caso de isso ser surpresa. Há por aí quem sequer se dê ao trabalho de mexer-se uma só polegada, à direita ou à esquerda – tão seguros estamos da vossa falta de pontaria e tal a certeza que temos de que nenhum de vós, vesgos, ceguetas, pitosgas, torcidos, retorcidos, consegue acertar com um canhão num elefante, a dez passos e num corredor. Mais: há até quem vos ache imensa piada.

Como diz a juventude “blogosférica”: LOL!

3 comentários em “Intolerável intolerância”

  1. Dei-me ao trabalho de me registar apenas e só para lhe deixar a nota de que considero que este blogue deixou de ter as condições mínimas de potabilidade.

    Deixo assim de o ler, de o subscrever e de me incomodar com ele.

    Considerar que um comunista pode ser difamado com “Depois vieram os cartões de crédito e outros casos “menores” e este senhor desapareceu” e fazer as considerações que faz porque aquele refere o seu direito à honra e bom nome “se” se tornarem a verificar os factos pelos quais protesta é sintomático do tipo de democracia que defende.

    Apenas estranhei ter fechado o “artigo” sem ” A Bem da Nação” e sem “Viva Salazar”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *