Viva a “maravilhosa língua unificada”!

dicOxfordbrasileiro

 

 

Detalhes

Esta nova edição do minidicionário português – inglês / inglês – português oferece cobertura atualizada do vocabulário cotidiano essencial e traz uma diagramação clara que facilita seu uso e o torna ideal para viagens.
Uma seção central de palavras mais usadas e expressões listadas por tópicos faz com que o minidicionário seja propício para consultas rápidas.
Este minidicionário é baseado no português brasileiro com informações extras sobre as diferenças encontradas no Português Europeu .

– See more at: http://www.sbs.com.br/oxford-minidicionario-portugues-ingles-ingles-portugues-third-edition-novo-acordo-ortografico.html#sthash.wCUVV0WZ.dpuf

Ver outros “exemplos” de “língua unificada”.

4 thoughts on “Viva a “maravilhosa língua unificada”!

  1. Os técnicos de redes e administradores de redes já estão a ter muitas dificuldades a fazer exames da Cisco e outras certificações, porque os manuais vêm com o Português do Brasil e os exames também, e muitos têm piores notas por causa disto. Porque com a tal unificação agora mandam fazer os livros no Brasil, exames traduzidos no Brasil, tudo com a língua de lá, e estão a afectar muita gente cá. Vejo isso no dia a dia.

  2. Há mais de 15 anos tive o desprazer de me serem enviados manuais da Adobe em Português. Eram brasileiros. O pior nem era isso, uma vez que a forma e o aspecto das palavras poderiam passar por Português, mesmo na variante americana, o grande problema era que a tradução de livros técnicos no Brasil parece ser feita à menor licitação e o tradutor, quando está fora da sua zona de conforto e se depara com uma palavra nova ou de significados múltiplos, ou opta pela primeira acepção do dicionário ou a “traduz” foneticamente – aportuguesa a pronúncia do termo estrangeiro. A tradução de begone é, naturalmente, begónia, e a de marquee só poderia ser marquise.

    Não me admiraria que a Cisco apresente terminologia semelhante.

  3. Esse problema das “traduções” brasileiras é generalizado em todos os campos e o pior é que dá origem a que novas “palavras” fruto dessas invenções apressadas rapidamente se propaguem por entre a população brasileira e passem a ser “certas”. É um fenómeno de decadência cultural acelerada fácil de observar. Pelos vistos os portugueses estavam cheios de pressa de passar por fenómeno igual.

  4. Muito interessantes estas informações que aqui vão aparecendo! Está à vista o resultado desta pretensa “política de língua”, que consiste na entrega da língua de Portugal ao “mercado global”, mediante o AO90, instrumento “sine qua non” dessa mesma política!

    Do ponto de vista linguístico e cultural é a mais descarada selvajaria! Agradeçamos à ignorância, arrogância e/ou ganância dos políticos que temos andado a eleger!

    E não é CRIME, isto?

    E o desemprego anunciado para todos os que têm na língua o seu instrumento de trabalho (tradutores, professores, editores, etc.)? Haverá alguma capacidade para equacionar o futuro por parte de quem nos governa?

    Peço a todos os que têm informação sobre tudo isto que dêem aqui o seu testemunho. Desde já, obrigada!

Os comentários estão fechados.