Mas então… não era facílimo?

A adaptação às novas regras de ortografia pode ser difícil. São centenas de palavras que passam a ser escritas de outra maneira, com alterações tão subtis quanto confusas. O FLiP é o software indicado para uma adopção suave das novas regras de ortografia. A nova versão deste pacote de ferramentas de revisão e auxílio à escrita contém um corrector ortográfico, um corrector sintáctico, vários dicionários, um conversor e auxiliares de tradução. Para que a escrita segundo o novo Acordo Ortográfico seja uma pera doce.

SAIBA MAIS

[Publicidade (não solicitada) recebida por email.]

[citação]
A adaptação às novas regras de ortografia pode ser difícil. São centenas de palavras que passam a ser escritas de outra maneira, com alterações tão subtis quanto confusas.
[/citação]

6 thoughts on “Mas então… não era facílimo?

  1. «Quanto à preparação dos professores para o “novo Português”, [Paulo Feytor Pinto, presidente da Associação de Professores de Português (APP)] considerou que as alterações não são um “bicho-de-sete-cabeças”. “Contrariamente ao muito que se diz por aí, as alterações que vão ser introduzidas são muito poucas e julgo que basta uma meia hora para os professores aprenderem as novas regras. E depois é aplicá-las” — Fonte: http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/professores-de-portugues-querem-introducao-de-acordo-ortografico-em-2010-1398771

  2. Continuarei a escrever como aprendi a cerca de 60 anos.Mesmo fazendo-o a moda antiga, os Portugueses, entender-me-ao.

  3. A propósito das afirmações de Paulo Feytor Pinto citadas acima por JRD:
    que qualquer pessoa medianamente culta pudesse fazer tais comentários já seria espantoso, mas que eles tenham vindo de alguém com tão elevada responsabilidade no ensino do Português é absolutamente alarmante! Como é possível tratar uma língua – qualquer língua – com tanta ligeireza e desconsideração?!

  4. A vergonha do costume…. E para os que dizem que irão continuar a escrever como aprenderam (e acho bem).. é que o problema não reside apenas na escrita…e então a leitura? É que muita coisa deixará de ser compreendida (leem – lêem; para – pára; gostamos – gostámos), etc…

Os comentários estão fechados.