Arquivo de etiquetas: Priberam

O que é “ocipital”? Não sabe? Em acordês “ispilica-çe”.

ocipital

«Epilepsia Ocipital Benigna Infantil, Tipo Panayiotopoulos»
Associação “Raríssimas”

«Dislexia – Alterações do campo visual (Lobos Temporo ocipital)»
(3 ocorrências de “ocipital” na mesma página)
Wikipedia “Lusófona” (brasileira)
Palavra não encontrada. Se procurava uma das palavras seguintes, clique nela para consultar a sua definição.

Ver índice cAOs

Se é “elítica”, então é em forma de “elise”…

«Bicicleta Elítica»

Jornal de Notícias

Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico).

Outras sugestões:
eletiva (norma brasileira, na grafia pós-Acordo Ortográfico)
elíticas (norma brasileira)
elítico (norma brasileira)
eolítica (norma brasileira)

“Trato urinário”: conversa e convívio entre pessoas que estão a urinar

«trato urinário» (17 ocorrências na mesma página)
Scielo Portugal – Revista Enfermagem, 2013

tra·to
substantivo masculino
1. Tratamento.
2. Contrato; ajuste.
3. Convivência; intimidade.
4. Conversação.
5. Passadio, alimentação.

tratos
substantivo masculino plural
6. Conjunto de torturas ou castigos corporais; mau tratamento. = MAUS-TRATOS, SEVÍCIAS

trac·to |át|
substantivo masculino

1. Extensão, espaço de terra.
2. Parte (de caminho), distância que se anda de uma vez sem parar.
3. Separação, intervalo, decurso.
4. [Liturgia] Oração ou versículos que se rezam em certas missas, em seguida ao gradual.

tracto gastrintestinal
• [Anatomia] Conjunto dos órgãos que constituem o aparelho digestivo.

tracto genital
• [Anatomia] Conjunto dos órgãos que constituem o aparelho genital masculino ou feminino.

Grafia alterada pelo Acordo Ortográfico de 1990: trato.
• Grafia no Brasil: trato.

trato“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/trato [consultado em 16-02-2015].

Enologia? Existe, sim, mas não é de gente. É de vinho.

Na série de amostras da acordista “caça à consoante” (“muda”, dupla ou em sequência), desta vez e para variar, dois exemplos em que se “corta” a eito uma consoante numa palavra com determinado significado, transformando-a assim numa outra palavra com um “significado” completamente diferente: etnográfico (de etnologia) passa a “enográfico” (de enologia?).

et·no·grá·fi·coDa etnografia ou a ela relativo.
Priberam
et·no·gra·fi·aCiência que descreve os povos no relativo aos seus costumes, índole, raça, língua, religião, etc.
Priberam
et·no·lo·gi·aTratado acerca da origem e distribuição dos povos.
Priberam
e·no·lo·gi·aCiência que estuda tudo o que está relacionado com a produção e conservação de vinho.
Priberam


«(…) o Rancho Folclórico da Trofa sairá da Rua 1º de maio (junto ao Trofa Shopping), o Rancho Enográfico de Santiago de Bougado sairá da Rua D. Pedro V (…)»

jornal “O Notícias da Trofa”


Continuar a lerEnologia? Existe, sim, mas não é de gente. É de vinho.

Governo português determina que existe o termo “elítico”

Governo de Portugal
Evolução da Bandeira Nacional

«Após a morte do Rei a esfera armilar foi retirada das armas, remetendo-se o símbolo real à expressão anterior, em que algumas das versões usaram um escudo elítico, com o eixo maior na vertical.»

elítico
«Palavra não encontrada (na norma europeia, na grafia pós-Acordo Ortográfico).» [Priberam]

(2) Busca: seção, receção, infeção

 

V – seção: 408 resultados

se·ção
(origem obscura)
substantivo feminino

[Portugal: Beira] Frescura ou humidade da terra.
Confrontar: sessão.

sec·ção |ècs|
(latim sectio, -onis, corte)
substantivo feminino

1. Divisão ou subdivisão composta de coisas da mesma espécie.
2. Cada uma das repartições em que se divide outra (nas secretarias de Estado).
3. [Arquitectura] Corte de um edifício pelo centro num plano com as proporções de altura e profundidade rigorosamente observadas para compreensão da sua disposição interior.
4. [Geometria] Encontro de duas linhas ou de uma linha e uma superfície ou de uma superfície e um sólido.
5. Corte vertical.
6. [História natural] Divisão de um género, divisão secundária, subdivisão.
7. [Militar] A quarta parte de um esquadrão.
8. [Militar] Subdivisão de baterias em número limitado de bocas-de-fogo.
9. [Farmácia] Operação de cortar substâncias medicinais.

secção de voto
• Local onde vota um certo número de eleitores.
Confrontar: cessão, sessão.

Ver também dúvida linguística: secção segundo o novo Acordo Ortográfico.

Grafia no Brasil: seção.

seção“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/se%C3%A7%C3%A3o [consultado em 20-12-2014].


Continuar a ler(2) Busca: seção, receção, infeção

Busca: coleta, ótico, láteo, coação

 

 

I – coleta OU coletável OU coletar: 47 resultados

co·le·ta |ê| substantivo feminino 1. [Tauromaquia] Trança de cabelo que os toureiros espanhóis usam na parte posterior da cabeça. cortar a coleta • [Tauromaquia] Deixar de ser toureiro.coleta“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/coleta [consultado em 11-12-2014].


II – ótico OU ótica: 252 resultados

ó·ti·co (grego otikós, -ê, -ón) adjectivo 1. Relativo ou pertencente ao ouvido ou à orelha. 2. Diz-se do medicamento que se emprega contra doenças do ouvido.ótico“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/%C3%B3tico [consultado em 11-12-2014].

Continuar a lerBusca: coleta, ótico, láteo, coação

Mas então… não era facílimo?

A adaptação às novas regras de ortografia pode ser difícil. São centenas de palavras que passam a ser escritas de outra maneira, com alterações tão subtis quanto confusas. O FLiP é o software indicado para uma adopção suave das novas regras de ortografia. A nova versão deste pacote de ferramentas de revisão e auxílio à escrita contém um corrector ortográfico, um corrector sintáctico, vários dicionários, um conversor e auxiliares de tradução. Para que a escrita segundo o novo Acordo Ortográfico seja uma pera doce.

SAIBA MAIS

[Publicidade (não solicitada) recebida por email.]

[citação]
A adaptação às novas regras de ortografia pode ser difícil. São centenas de palavras que passam a ser escritas de outra maneira, com alterações tão subtis quanto confusas.
[/citação]

O Mostrengo Lince [Madalena Homem Cardoso]

O “corretor” lince que eu não quis instalar
Varreu o ecrã, ergueu-se a voar;
À roda do texto veio três vezes,
Roubou três letras a chiar,
E disse: «Quem ousa desafiar
As minhas razões que nem eu entendo,
Meu lápis invisível infecundo?»
E ao leme da tecla eu disse, tremendo:
«Séculos de Língua Portuguesa no Mundo!»

«De quem são as letras de que troço?
De quem o linguajar que leio e ouço?»
Disse o “corretor” lince, e arrotou três vezes,
Três vezes arrotou imundo e grosso.
«Quem vem escrever como não posso,
Que moro onde nunca ninguém me visse
Instalado no medo, mas do nada oriundo?»
E ao leme da tecla tremendo, eu disse:
«Séculos de Língua Portuguesa no Mundo!»

Três vezes do teclado as mãos ergui,
Três vezes ao leme de mim escrevi,
E disse no fim de tremer três vezes:
«Tremo com fúria, sou mais do que eu:
O que este Povo escreve não é teu;
Mais que o raivoso lince que me a alma pisa
Mutilando palavras furibundo,
Mandam as raizes que erguem a divisa,
Séculos de Língua Portuguesa no Mundo!»

Madalena Homem Cardoso

«Versão de “O MOSTRENGO” (de Fernando Pessoa), dedicada ao “CORRETOR”/”CONVERSOR” LINCE»
(Publicado no Facebook em 26.10.11.)

Foto: recorte de original publicado no blog “Fotos Incompletas”.

Novas duplas grafias na “língua unificada”

Já antes tínhamos ficado a saber que existem cerca de 69 300 duplas grafias na base-de-dados oficial do “acordo ortográfico”, a MorDebe.

Porém, destas, até agora era praticamente impossível apurar quantas são novas, ou seja, aquelas que – por mais inacreditável que isso possa parecer – foram geradas pelo mesmíssimo “acordo” que pretende “uniformizar a língua” e, portanto, abolir duplas grafias.

Mas afinal é muito fácil saber a resposta e esta pode ser obtida por qualquer pessoa com uma simples pesquisa no dicionário online da Priberam; basta usar como critério de busca a expressão que distingue as novas duplas grafias das outras: “Dupla grafia pelo Acordo Ortográfico de 1990”.

É só experimentar esta pesquisa, portanto: http://www.google.com.br/search?hl=pt-PT&lr=&biw=1024&bih=655&q=%22Dupla+grafia+pelo+Acordo+Ortogr%C3%A1fico+de+1990%22+site%3Ahttp%3A%2F%2Fwww.priberam.pt%2Fdlpo%2F&oq=%22Dupla+grafia+pelo+Acordo+Ortogr%C3%A1fico+de+1990%22+site%3Ahttp%3A%2F%2Fwww.priberam.pt%2Fdlpo%2F&aq=f&aqi=&aql=&gs_sm=e&gs_upl=806454l807959l0l809347l5l5l0l4l0l0l170l170l0.1l1l0

No momento em que este “post” foi publicado o resultado era de 2 290 (duas mil duzentas e noventa) novas duplas grafias. Reitere-se o facto, para que fique bem claro: o mesmo “acordo ortográfico” que tinha por finalidade “uniformizar a língua” e “abolir duplas grafias” não apenas conserva mais de 60 000 (em 200 mil) como cria cerca de 2 300 duplas grafias que antes não existiam.

É esta, em suma, a “maravilhosa língua unificada” que nos querem impingir e que alguns, contra todas as evidências, persistem em considerar como “Português universal”.

Para o caso de algo suceder ao site, ao critério de pesquisa ou aos resultados agora obtidos (são coisas que acontecem, digamos), fica aqui uma cópia em imagem da busca hoje efectuada: http://cedilha.net/ilcao/wp-content/uploads/2011/08/priberamN2G-300×225.jpg